População mundial se aproximará dos 10 bilhões em 2050, diz estudo

Em 2050, a classificação dos países mais populosos deverá ser bastante diferente, com a Índia à frente (1,650 bilhão)



A população mundial alcançará 9,731 bilhões de habitantes em 2050 contra 7,141 bilhões em 2013, segundo um estudo bienal do Instituto francês de Estudos Demográficos (INED), publicado nesta quarta-feira.

Ao final do século XXI, o planeta terá de 10 a 11 bilhões de habitantes, segundo projeções do INED, que faz seus próprios estudos em paralelo com os feitos pelas Nações Unidas, o Banco Mundial e outros grandes institutos nacionais.

O índice de fertilidade mundial é de 2,5 filhos por mulher em 2013 (5 em 1950) com fortes disparidades regionais segundo o estudo, sobretudo entre os dois extremos que são o Níger (7,6 filhos por mulher) e a Bósnia-Herzegovina (1,2 filho por mulher).

A África concentrará um quarto da população mundial em 2050 segundo o estudo, que prevê que 2,435 bilhões de pessoas viverão no continente em 2050, mais que o dobro do 1,1 bilhão registrado em 2013.

Com um índice de fertilidade de 1,6 filho por mulher, a Europa continental será a única a registrar uma queda da população, que passará de 740 milhões de habitantes em 2013 para 726 milhões em 2050, segundo o INED.

A América vai superar 1 bilhão de habitantes, passando de 958 milhões de habitantes em 2013 para 1,228 bilhão em 2050; a Ásia dará um salto de 4,305 bilhões de habitantes em 2013 para 5,284 bilhões em 2050; e a Oceania vai progredir de 38 para 58 milhões, prevê o Instituto.

Atualmente, o "G7, grupo dos países populosos do planeta, é composto por China (1,360 bilhão de pessoas), Índia (1,276 bilhão), Estados Unidos (316,2 milhões), Indonésia (248,5 milhões), Brasil (201 milhões), Paquistão (190,7 milhões) e Nigéria (174,9 milhões).

Em 2050, a classificação dos países mais populosos deverá ser bastante diferente, com a Índia à frente (1,650 bilhão) seguida de China (1,314 bilhão) e Nigéria que, com 444 milhões de habitantes, vai superar os Estados Unidos (400 milhões).

FONTE: Jornal da ciência

Nenhum comentário:

Postar um comentário